Publicidade

ARTIGO

História de Ponta Grossa

O território onde atualmente está localizada a cidade de Ponta Grossa tem como primeiros registros de passagem de portugueses as bandeiras de Aleixo Garcia (1526) e de Pero Lôbo e Francisco Chaves (1531), o contato realizado entre o espanhol Álvar Nuñez Cabeza de Vaca e os índios que habitavam a região, quando Álvar seguia o caminho para Assunção no Paraguai (1541), e do alemão Ulrich Schmidel (com 4 soldados alemães e 20 índios paraguaios) que iam de Assunção para São Vicente/SP no ano de 1552.

Caminho e local de repouso para os tropeiros que levavam produtos e animais entre as cidades de São Vicente e Sorocaba (SP) para Viamão (RS), o povoamento de Ponta Grossa teve início a partir da concessão de uma sesmaria a Pedro Taques de Almeida, em 1704, que colocou seu filho José de Góis e Morais e cunhados para administrar e colonizar a área. Góis e Morais trouxe então animais e empregados para trabalharem e doou uma parte da sesmaria para os padres jesuítas que logo construíram a Capela de Santa Bárbara no local. Um ano após sua construção, a Capela foi desviada da estrada principal que, devido ao seu traçado, acabou isolando-a do povoado.

Com o passar do tempo, muitos tropeiros acabaram se fixando no povoado e surgiram novas fazendas às margens dos rios Verde e Pitangui. A partir do crescimento de sua população e de seu comércio de animais, os moradores da área se uniram para a construção de um cemitério, uma capela e a “Casa da Telha” (lugar para pouso, missas, batizados e casamentos), visando à elevação do bairro Ponta Grossa em Castro (PR) à freguesia. Conta a lenda que, como o local da construção da capela estava gerando divergências entre os fazendeiros, ficou resolvido que ele seria definido por um casal de pombos com uma fita vermelha nas patas. Após serem soltos, os pombos voaram até uma figueira situada no alto de uma colina. Foi então nesse ponto construída a Matriz de SantAna (em homenagem à padroeira do povoado, Nossa Senhora de SantAna) e a sede da futura freguesia com diversas casas e lojas montadas em seu entorno. Ao final, todo empenho resultou na elevação do bairro à Freguesia de SantAna de Ponta Grossa (distrito de Castro), na data de 15 de setembro de 1823, através de decreto do Imperador D. Pedro I.

Em 1832, Ponta Grossa contava com 3.200 habitantes morando em casas de pedra e barro (sistema de estuque) e de madeira de pinho escuro, sinalizando a pobreza da área. Apesar disso, a Freguesia conseguiu o desmembramento de Castro e tornou-se um município em 1855. Nessa época, ela apresentava 543 sítios, 16 fazendas, 9 armazéns, 6 lojas de tecido, 3 engenhos e 3 açougues. Passados 7 anos, em 24 de março de 1862, o município foi elevado à cidade e recebeu Ponta Grossa como nome oficial.

Na segunda metade do século XIX, com incentivos do presidente da Província do Paraná, Lamenha Lins, começaram a chegar os primeiros imigrantes à Ponta Grossa. Foram mais de 2.300 russos e alemães que ajudaram na colonização da cidade, no desenvolvimento da cultura e do comércio e na modernização dos meios de transporte. Na mesma época chegaram as estradas de ferro na região, fato esse que proporcionou o crescimento econômico e social da cidade, a chegada de novos imigrantes (poloneses, ucranianos, sírios, italianos e libaneses) e o privilégio de receber em uma visita o Imperador D. Pedro II em 1880. Anos depois, em 1894, foi inaugurada a ferrovia Curitiba-Ponta Grossa, facilitando a ligação entre as cidades e aumentando as oportunidades de trabalho para sua população.

Após a Proclamação da República e a abolição da escravatura, o século XX começou com a agricultura sofrendo de falta de mão de obra e os fazendeiros passaram a investir em madeira e erva-mate. Essa atitude foi bem sucedida e logo a cidade estava com muitas lojas, indústrias, teatros, jornais e escolas. Com isso, aliado à sua localização em meio a rodovias e ferrovias, Ponta Grossa conseguiu um rápido desenvolvimento econômico e hoje é considerada uma das mais importantes cidades do Paraná do ponto de vista comercial, industrial e de transportes.

Fonte: Prefeitura Municipal de Ponta Grossa

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

by The Cities

Pesquisar por

Pesquisar por

Publicidade

Publicidade

The Cities

O The Cities é um Portal de conteúdo estruturado que atua de forma integrada na prestação de serviços de informações confiáveis, precisas e atualizadas nas áreas de economia, cultura, turismo, história, lazer, meio ambiente, saúde, urbanismo, poder público, cotidianos e gerais.

Informações

Como utilizar o Portal

Política de Privacidade

Aviso Legal

Quem Somos

Fale Conosco

Trabalhe conosco

Receba os conteúdos
do Portal The Cities:

Quero receber

© 2014 - 2018 The Cities Todos os direitos reservados

© 2014 - 2018 The Cities - Sua cidade em evidência. Todos os direitos reservados

aguarde, processando...